Há 38 anos, trabalhadores davam primeiros passos para criação da CUT

Imagem: CEDOC/CUT

Em agosto de 1981, representantes de sindicais participaram da 1ª Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (Conclat), sediada na Praia Grande

Continua após a publicidade




Como enfrentamento direto à ditadura militar, na luta pela democracia do país, liberdade sindical, por melhores salários e contra a repressão aos trabalhadores, há 38 anos os trabalhadores e as trabalhadoras de todo país davam os primeiros passos para a criação da maior central sindical do país.

Mais de cinco mil delegados e delegadas, representando 1.091 entidades sindicais de todo o Brasil, participaram da 1ª Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (Conclat), que aconteceu na colônia de férias do Sindicato dos Têxteis na Praia Grande, em São Paulo, entre os dias 21 e 23 de agosto de 1981.

Considerado o maior encontro de militantes sindicais realizado no país, até então, a Conferência, foi a primeira reunião ampla de categorias diversas desde o golpe de 1964. Também estiveram presentes centenas de apoiadores e importantes delegações internacionais vindas de várias partes do mundo.Laércio Miranda/CEDOC – CUT

No último dia do encontro, no dia 23 de agosto, foi eleita a Comissão Nacional Pró Central Única dos Trabalhadores (Pró- CUT), com 56 membros, sendo 24 representantes de entidades rurais. Foi o primeiro passo para que, dois anos depois [28 de agosto de 1983], surgisse a maior entidade de representação das trabalhadoras e trabalhadores brasileiros, da cidade e do campo, a Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Baseada em princípios de igualdade e solidariedade, seus objetivos são organizar, representar sindicalmente e dirigir a luta dos trabalhadores e trabalhadoras da cidade e do campo, do setor público e privado, ativos e inativos por melhores condições de vida e de trabalho e por uma sociedade justa e democrática.

Presente em todos os ramos de atividade econômica do país, a CUT se consolida como a maior central sindical do Brasil, da América Latina e a 5ª maior do mundo, com 3.806 entidades filiadas, 7.847.077 trabalhadoras e trabalhadores associados e 23.981.044 trabalhadoras e trabalhadores na base.

CUT de volta à Praia Grande

Numa conjuntura parecida com a de 1981, 38 anos depois, a CUT voltará a Praia Grande para o 13º Congresso Nacional da CUT “ Lula Livre”, entre os dias 7 e 10 de outubro, com o mote “Sindicatos Fortes = direitos, soberania e democracia”.

O Congresso que tem como objetivo intensificar e aprofundar o debate, definir estratégias e elaborar um plano de lutas para fazer frente aos desafios que estão colocados para a classe trabalhadora, para o movimento sindical e para o povo brasileiro, também vai eleger a direção para o período de 2019 a 2023.

Para acessar a matéria e também relevantes documentos sobre aquele momento histórico clique no link do Cedoc.

Por CUT







2 comentários

  1. Adnólia Figueiredo Responder

    Esperemos que o legítimo presidente do Brasil esteja solto , Luís Inácio Lula da Silva , porque livre ele sempre esteve , para participar desse grandioso evento . #LULASOLTO

  2. Jurandir Responder

    Adnolia, gostei do Lula Souto porque livre ele sempre está eu tenho um Bar com nome quinteiro Bar a senha do wi-fi e Lula livre mas posso mandar para Lula Souto,sou da cidade de Goiânia e viva o meu o nosso eterno presidente Lula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *