O “perrengue” de quem “ganha bem” num país de miseráveis

Eduardo e Heloísa Bolsonaro com Tonny Robbins, guru estadunidense do coach (Reprodução)

A maioria esmagadora do povo Brasileiro vai virar o ano no desemprego e sem condições de fazer um churrasquinho.

O preço da carne de vaca subiu e a ministra Tereza Cristina já avisou que a carne estava barata demais e que não há previsão para que o preço seja reduzido.

Com a falta da carne na mesa, parte do “gado bolsonarista” vai perceber que apoiar um despreparado foi um belo tiro no pé, uma vez que as condições da vida real só piora para a maioria da população a cada dia que se passa.

Num país miserável há quem ache que é possível “passar perrengue” com renda superior a R$ 30 mil por mês.

Viralizou na internet o vídeo da esposa do quase Embaixador Eduardo Bolsonaro explicando o tal perrengue pessoal.

A mulher do 03 que é idolatrada pelos idiotas de plantão, mostrou o que é futilidade num país com 5,2 milhões de brasileiros passando fome.

Pessoas pobres e com a vida “fodida” (me perdoem a expressão chula) que realmente passam perrengue, não deveriam jamais ser o público dessa senhora.

Mas os escrotos e as escrotas infelizmente fazem muito sucesso.

Quando a situação piorar de vez (e vai piorar) esses idiotas vão perder público.

Já está acontecendo. O preço da carne tá muito alto e isso vai abalar ainda mais a já abalada popularidade do Bolsonaro.

O Bolsonaro que quer autorizar a matança dos miseráveis que vão protestar contra o seu governo através da aprovação do excludente de ilicitude que é a matança autorizada pela polícia de negros e pobres.

A política econômica do governo é desastrosa e vai fazer do Brasil um país com milhões de miseráveis sem direitos, sem renda, sem emprego e sem perspectivas.

O caos é inevitável.

A nora do presidente não sabe o que é perrengue.

O Povo pobre sabe e pode em algum momento perder a paciência com a futilidade de gente fútil.

Isso já aconteceu várias vezes na história da humanidade.

Flávio Rezende

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *