Pastores angolanos rompem com direção brasileira da Igreja Universal, acusada de racismo e desvio de dinheiro

Pastores angolanos rompem com direção brasileira da Igreja Universal, acusada de racismo e desvio de dinheiro

junho 24, 2020 0 Por admin

Igreja Universal do Reino de Deus em Angola © IURD




Bispos e pastores angolanos da Igreja Universal do Reino de Deus anunciaram nesta terça-feira (23) uma ruptura com a direção brasileira da instituição devido a “muitos crimes”, entre eles, racismo e desvio de dinheiro. Os líderes religiosos angolanos ocuparam dezenas de templos na capital Luanda e em outras cidades do país e divulgaram um manifesto contra a liderança da instituição no Brasil.

Os bispos e pastores angolanos acusam a direção brasileira da Universal de evasão de divisas, expatriação ilícita de capital, racismo, discriminação, abuso de autoridade, imposição da prática de vasectomia aos pastores e intromissão na vida conjugal dos religiosos.

Reclamam ainda de privilégios dados aos bispos brasileiros e pedem uma maior valorização do episcopado angolano.

O pastor angolano Silva Matias acusa o bispo brasileiro Honorilton Gonçalves, ex-vice-presidente da TV Record de racismo. “Sabemos que ele, um homem branco, trata os negros com desdém”, reitera.

Em entrevista exclusiva à RFI, Matias afirmou que “Em uma reunião fechada, uma conferência que ele (o bispo brasileiro Honorilton Gonçalves) fez conosco, ele disse que nós, pretos, temos essa aparência porque nossos ancestrais, nossas mães, quando concebiam, tinham muito contato com macacos. Isso foi uma tremenda aberração e uma autêntica falta de respeito, vindo dessa pessoa que é líder fundador da igreja” 

Com informações da BBC Brasil e da Rádio França Internacional