abril 13, 2021

Militar da reserva que matou 2 mulheres nas primeiras horas do ano atuava como pastor

Clairane dos Santos, de 40, e Fernanda Dornelles Coelho, de 24, foram assassinadas nas primeiras horas de 2021 – Reprodução / Facebook




Sargento aposentado Vilmar Cabreira assassinou a esposa e a vizinha na madrugada de 1º de janeiro no Rio Grande do Sul

Redação – Brasil de Fato | São Paulo (SP)

Ouça o áudio

Duas das primeiras mulheres brasileiras assassinadas em 2021 foram vítimas de um militar da reserva e pastor, no Rio Grande do Sul.

O sargento aposentado da Brigada Militar de Ijuí (RS) Vilmar Cabreira, de 57 anos, assassinou com tiros de arma de fogo a esposa Clairane dos Santos, de 40 anos, e a vizinha Fernanda Dornelles Coelho, de 24, durante a madrugada de 1º de janeiro, em São Borja (RS).

Outro vizinho, Welington Martins da Rosa, de 18 anos, foi atingido por Cabreira no ombro na mesma ocasião e levado para um hospital do município.

O autor do crime, que teve grande repercussão na região, morava há pouco mais de seis meses no município e mantinha uma igreja evangélica no fundo de sua casa, onde atuava como pastor. Ex-policial em Tucunduva (RS) e Ijuí (RS), Cabreira também era responsável pelo programa de evangelização “Visão do Conquistador”, veiculado em uma rádio web.

O sargento Isaac Carmo Cardozo, que investiga o caso, diz que as motivações ainda são incertas. Cabreira alega legítima defesa.

No momento em que cometia os crimes, por volta da 4h, o sargento da reserva foi ferido no pé. Após ser atendido no Hospital Ivan Goulart, ele foi conduzido ao Presídio Policial Militar, em Porto Alegre (RS).

Cabreira deve responder pelos crimes de homicídio consumado qualificado, feminicídio e tentativa de homicídio.

Edição: Camila Maciel