Milhares de servidores vão às ruas em 20 estados contra a reforma administrativa; confira

Milhares de servidores vão às ruas em 20 estados contra a reforma administrativa; confira

agosto 18, 2021 0 Por admin

Intervenção artística contra a PEC 32 e as privatizações em Brasília – Divulgação

Manifestantes também pedem o impeachment de Bolsonaro e a volta do auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia

Redação – Brasil de Fato | São Paulo (SP)

Servidores públicos municipais, estaduais e federais de 19 estados e do Distrito Federal foram às ruas na manhã desta quarta-feira (18) contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32, da reforma administrativa.

A mobilização, convocada por centrais sindicais, denuncia a falta de diálogo por parte do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e os danos de uma eventual aprovação da reforma para o serviço público.

Os manifestantes também pedem o impeachment de Bolsonaro e a volta do auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia. Outros alvos dos protestos desta quarta são a “minirreforma trabalhista” e as privatizações dos Correios e da Eletrobras.

Leia mais: Por que servidores estão em greve contra a reforma administrativa

Os organizadores ressaltaram a necessidade de manter o distanciamento social e o uso de máscaras durante os atos.

Confira algumas imagens:

Centro-Oeste

As principais vias de Brasília (DF) amanheceram com mensagens de protesto contra a PEC 32. “A aprovação dessa lei significa o fim da educação e saúde públicas, por exemplo, além de privilegiar juízes, parlamentares e militares”, afirmaram os organizadores na convocatória.


Antes do nascer do sol, Brasília já tinha cartazes contra a reforma administrativa / Divulgação

Na capital federal, também houve intervenções artísticas contra a PEC 32.


Artistas fizeram performance em protesto contra Bolsonaro e Paulo Guedes em Brasília / Divulgação


Trabalhadores da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) também protestaram contra a reforma / Jonas Valente/SJPDF

Em Goiânia (GO), urbanitários chamaram atenção para a agenda de privatizações do atual governo.


Protestos em Goiânia lembraram os riscos da privatização da Eletrobras / Gibran Jordão | @esquerdaonline


Servidores públicos se concentraram logo cedo para protestar no centro de Campo Grande (MS) / @wjjunyor

Sudeste

Nos quatro estados do Sudeste, houve manifestações contra a reforma administrativa e a política econômica de Bolsonaro e Paulo Guedes, ministro da Economia.


Ato unificado das centrais sindicais na Praça Mauá, em Santos (SP) / Leandro Olímpio |@esquerdaonline


Faixa exibida durante ato na Candelária, no Rio de Janeiro (RJ), durante ato na tarde desta quarta / Jaqueline Deister / Brasil de Fato RJ

Além das bandeiras nacionais de luta desta quarta, manifestantes de Niterói (RJ) questionaram o retorno às aulas presenciais sem os protocolos sanitários necessários.


Protesto em frente ao Liceu Nilo Peçanha, em Niterói / Divulgação

Trabalhadores da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) protestaram na Lapa, em São Paulo (SP), em apoio à greve contra a privatização dos correios e à PEC 32.


Trabalhadores da Sabesp também se manifestaram contra a venda dos Correios / Sintaema

Em Minas Gerais, trabalhadoras e trabalhadores da Petrobras fizeram ato na porta da Refinaria Gabriel Passos (Regap) contra a reforma administrativa e as privatizações.


Ato dos petroleiros ocorreu pela manhã na região metropolitana de Belo Horizonte / Ana Carolina Vasconcelos | BdF MG

Nordeste

Em Fortaleza (CE), o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) foi às ruas “contra a PEC 32 e as privatizações, em defesa do auxílio emergencial de R$ 600, por vacina e emprego.”


Protesto em Fortaleza pediu a saída imediata de Bolsonaro do governo / MAB/Ceará


Manifestantes voltaram a pedir “Fora, Bolsonaro” no Ceará nesta quarta / MAB/Ceará

Em João Pessoa (PB), servidores protestaram em frente ao prédio da Receita Federal.

No Recife (PE), os manifestantes se concentraram na praça Treze de Maio com carros de som, cartazes e faixas contra as medidas do governo Bolsonaro.


Manifestante protesta na praça Treze de Maio contra a PEC da reforma administrativa / Rani de Mendonça

Em Maceió (AL), os protestos foram direcionados especialmente a Artur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados, que tem a responsabilidade de votar a PEC 32.


Caminhada contra a reforma administrativa em Maceió / Adriano Santos

Norte

Em Belém (PA), centrais sindicais fizeram caminhada e panfletagem contra a precarização do serviço público.


Manifestação começou cedo no centro da capital paraense / Will Mota | @esquerdaonline

Sul

Mesmo debaixo de chuva, trabalhadores protestaram contra a reforma administrativa em frente ao Hospital Pronto Socorro (HPS), em Porto Alegre (RS).


Servidores gaúchos denunciaram o impacto da reforma administrativa na saúde pública / Carolina Lima


Ainda na capital gaúcha, servidores fizeram vigília em frente ao Palácio Piratini / Carolina Lima


Ato dos servidores públicos contra a PEC 32 em Caxias do Sul (RS) / Daniela Fagundes

Em Criciúma (SC), sindicalistas ocuparam desde cedo a Praça Nereu Ramos para dialogar com a população sobre a PEC 32. Além das panfletagens, eles exibiram faixas pressionando os três deputados federais da região – Ricardo Guidi (PSD), Geovania de Sá (PSDB) e Daniel Freitas (PSL) – para votarem contra a reforma. 


Dezenas de servidores paralisaram atividades para protestar no centro de Criciúma / Sabrina Pereira | @jornallivresc

Edição: Leandro Melito