Vídeo | Agricultores registram ataque a tiros contra assentamento do MST em Prado (BA)

Vídeo | Agricultores registram ataque a tiros contra assentamento do MST em Prado (BA)

novembro 2, 2021 0 Por admin

Dois ônibus que estavam dentro do assentamento foram incendiados pelos invasores – Comunicação MST Bahia

Cerca de 20 homens encapuzados incendiaram ônibus, efetuaram vários disparos e fizeram trabalhadores reféns em Prado

Daniel Giovanaz – Brasil de Fato | São Paulo (SP)

Agricultores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que participavam de uma assembleia no assentamento Fabio Henrique, em Prado (BA), na manhã de domingo (31), foram surpreendidos por um ataque a tiros.

Cerca de 20 homens encapuzados invadiram o local, incendiaram dois ônibus, fizeram trabalhadores reféns e atiraram contra carros e casas. Ninguém ficou ferido.


Carro com marca de balas após ataque ao assentamento Fabio Henrique / Comunicação MST Bahia

A direção do MST se referiu ao atentado como uma “ação coordenada”, que teria sido realizada por grupos bolsonaristas da região.

Trabalhadores foram perseguidos, tiveram armas apontadas contra suas cabeças e foram obrigados a caminhar entre uma plantação de eucalipto, vizinha ao assentamento. Esse momento foi registrado no vídeo abaixo, em que se podem ouvir os disparos.

Os agricultores que foram mantidos como reféns relatam que os invasores exigiam que eles localizassem os dirigentes do MST da região.

Os moradores do assentamento Fabio Henrique registraram um boletim de ocorrência no mesmo dia, e policiais militares foram enviados ao local.

“Alguns indivíduos que participaram do atentado foram identificados pelos trabalhadores. São indivíduos ligados aos grupos bolsonaristas na região e que frequentam o Casarão Brasil, espaço de articulação bolsonarista e de promoção fake news, localizado em Teixeira de Freitas (BA)”, diz texto divulgado pelo movimento

Brasil de Fato não conseguiu contato com o Casarão Brasil e aguarda informações da Secretaria de Segurança Pública da Bahia para atualizar o caso.

A reportagem pode ser atualizada a qualquer momento com mais informações.

Edição: Vinícius Segalla